|   | 

Fundo: Coleção Luís Fernandes de Souza

Luís Fernandes de Souza

Luís Fernandes de Souza, filho de José Fernandes de Souza e Dona Maria de Paula Bueno, nasceu em 29 de novembro de 1908, em Cabo Verde, no sul de Minas Gerais e foi, ainda criança, para a Fazenda da Serra, município de Cajuru, no estado de São Paulo.

Luís Fernandes no Lactário, Associação de Proteção a Infância de Divinópolis

Iniciou seus estudos ainda criança com uma tia paterna em uma fazenda no município de São José do Rio Pardo, estado de São Paulo, e os continuou no Ginásio Paraisense, em São Sebastião do Paraíso, sul de Minas, onde concluiu os exames preparatórios, correspondentes ao que, hoje, equivale à Educação Básica, quando já demonstra seus primeiros sinais de aptidão para a docência. Concluiu seus estudos superiores em 24 de junho de 1933, na Escola de Minas, em Ouro Preto, tendo sido indicado pelo Ministério da Educação e Cultura, ainda como estudante, para diversas bancas examinadoras de Matemática, Física e Química. Na Escola de Minas formou uma pequena classe onde lecionava para amigos e companheiros de outras séries que estivessem com alguma dificuldade no curso.

No mesmo ano foi admitido como Engenheiro da Secretaria de Estado de Viação e Obras Públicas, onde prestou serviços de construção da rodovia entre São Romão (MG) e Formosa (GO). Permaneceu no norte de Minas por alguns meses antes de voltar a Belo Horizonte, realizando o estudo para construção de várias pontes sobre o rio Urucuia e outros da região. Já em Belo Horizonte, participou de dezenas de comissões para estudos de estradas e pontes em todo o estado durante seu período na Divisão de Estradas e Pontes da Secretaria de Viação e Obras Públicas. Casou-se em Ouro Preto com a farmacêutica Maria de Lourdes Pimentel, no ano de 1936, indo residir em Guaxupé, cidade em que nasceram seus primeiros filhos: Fernando, Roberto e Maria Carolina.

Veio para Divinópolis em setembro de 1940 para chefiar a fiscalização das obras da construção da Usina do Gafanhoto – a obra mais importante e de maior repercussão do estado na época. Quatro anos depois foi designado para chefiar os trabalhos de montagem das instalações da mesma usina.

Luís Fernandes na Fazenda de Cordovil da Silva, 12 de maio de 1960, Divinópolis

Em 1945, foi escolhido para chefia da 12ª Circunscrição de Obras Públicas – C.O.P. – abrangendo diversos municípios do Oeste de Minas, o que o fez sentir-se definitivamente ligado a Divinópolis, tendo recusado diversos convites para transferir-se para Belo Horizonte, de onde chefiaria as obras do Estado. Pouco depois de sua vinda, transferiu-se também para Divinópolis o professor Martin Cyprien, que trazia de Pará de Minas seu Colégio “São Geraldo”, sendo Luís Fernandes convidado para lecionar Matemática e Física. Dirigiu diversos colégios da cidade, foi um dos responsáveis pela criação do Ginásio Industrial de Divinópolis e da Escola “O Aleijadinho”, incentivou a diretoria da Associação dos Servidores da Viação Férrea Centro-Oeste – ASER – para a criação e instalação do Colégio ASER.

Foi indicado como candidato único à Prefeitura Municipal de Divinópolis, em 1954, tendo sido eleito e assumido a administração entre 1955 e 1959. Suas principais preocupações na administração da cidade foram a organização de um plano da expansão e urbanização da cidade e de seu distrito de Santo Antônio dos Campos e a melhoria e expansão da rede de ensino na sede e na zona rural.

Devido a suas relações com as autoridades do Estado, conseguiu autorização para a construção de novos prédios para importantes grupos escolares da cidade, além da criação de novos. Como prefeito, criou as primeiras granjas-escolas do Estado, pioneirismo que sensibilizou a educadora Helena Antipoff, que por várias vezes visitou essas com suas alunas da Fazenda do Rosário, e chamou a atenção de vários outros municípios e estados, que trouxeram professoras para realizarem períodos de estágio. Participou de diversos seminários nacionais e internacionais onde expôs seu trabalho na Educação Comunitária, trazendo sempre novas ideias relativas à educação.

Além dos trabalhos relacionados à educação, sua administração foi marcada por uma série de outras obras e investimentos. Esteve envolvido na construção de diversas ligações rodoviárias com a região, abriu ruas e avenidas, construiu o Mercado Municipal, adquiriu a Charqueda, construiu redes de esgoto e galerias pluviais, conseguindo que fossem feitos os estudos de abastecimento de água e esgoto em convênio com a Comissão do Vale do São Francisco, foram postos em concorrência os serviços telefônicos, estabeleceu contratos para transportes urbanos, criou a Biblioteca Pública, construiu a sede do Tiro de Guerra, apresentou o primeiro trabalho para a criação da Cidade Industrial de Divinópolis entre inúmeros outros melhoramentos públicos para a cidade. Tendo sido convidado pela U.D.N como pelo P.R., ao final de seu mandato, para integrar a chapa como candidato a Deputado Estadual, não aceitou, por motivos particulares.

Concluído seu período administrativo, recebeu inúmeros convites para assumir a direção de empresas no Rio e em Belo Horizonte, mas permaneceu em Divinópolis na intenção de colaborar na administração do amigo e sucessor na Prefeitura, Dr. Sebastião Gomes Guimarães, reassumindo, assim, a chefia da 12ª Circunscrição de Obras Públicas – C.O.P., hoje extinta.

Assumiu o cargo de Secretário Municipal de Educação no governo Fábio Botelho Notini, que se licenciou por motivo de saúde, sendo substituído por Galileu Teixeira Machado, que o manteve no cargo. À frente da então Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC), criou a Banda de Música Municipal para jovens, aumentou consideravelmente o acervo da Biblioteca Pública Municipal “Ataliba Lago”, equipou escolas municipais, aprimorou o ensino, deu assistência à zona rural. Na rede física de ensino municipal, reformou, ampliou, equipou e construiu prédios.

Aposentou-se em agosto de 1970, possuindo vários títulos e honrarias.

  1. Sócio benemérito do Círculo Operário de Divinópolis, Associação dos Servidores da Viação Férrea Centro-Oeste, Associação de Ex-combatentes do Brasil – Seção de Divinópolis, União dos Escoteiros do Brasil – Grupo Escoteiro de Divinópolis e da Sociedade Mineira de Engenheiros.
  2. Sócio Remido da Sociedade Mineira de Engenheiros.
  3. Como Secretário Municipal da Educação, foi agraciado com a então criada “Medalha de Mérito”, pela sua relevante contribuição no campo educacional.
  4. Recebeu o Troféu “Status” pelo Jornal “Agora” por duas vezes, a “Medalha do Mérito Rotário”, a “Medalha Candidés” pela Câmara Municipal de Divinópolis, duas vezes o diploma “Personalidade do Ano” do Jornal “Diário do Oeste” e Certificado de Reconhecimento pela colaboração prestada no Programa Contribuinte do Futuro.
  5. Certificados de Honra ao Mérito concedidos pela E. E. Antônio Gonçalves de Matos, Movimento Brasileiro de Alfabetização, Diretório Acadêmico da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Divinópolis – FAFID e pela União Estudantil Divinopolitana – U.E.D..
  6. O Rotary Club de Divinópolis concedeu-lhe, em 1983, diploma por cinquenta anos de serviços prestados a Engenharia.

Recebeu o título de Cidadão Divinopolitano em 31 de maio de 1985, outorgado pela Câmara dos Vereadores, foi Constituinte Honorário em Minas Gerais, no processo de elaboração da constituição promulgada em 1989, tendo sido homenageado em cerimônia de sua promulgação na Assembleia Legislativa pelo então presidente, deputado Kemil Kumaira.

Sobre o acervo

  • Pronunciamentos públicos de um educador: coleção de rascunhos de discursos proferidos por Luís Fernandes, quando Secretário Municipal de Educação e Cultura, em ocasiões de inauguração de escolas.
  • Ofícios de um professor: coleção de documentos que contam parte da trajetória acadêmica e profissional de Luís Fernandes até sua chegada a Divinópolis.
  • Projetos educacionais: coleção contendo propostas, estudos e projetos para a educação que tiveram participação, direta ou indireta, de Luís Fernandes.
  • Memórias afetivas de um professor: coleção composta por bilhetes, rascunhos, homenagens e congratulações que mostram o espírito afetivo de Luís Fernandes com sua família, amigos, alunos e funcionários das escolas beneficiadas em sua obra.
  • Educação comunitária: série de cópias de recortes de jornais, revistas, livros e convites públicos que mostram a visibilidade do trabalho de Luís Fernandes na área de educação comunitária.
  • Méritos do cidadão: listagem de placas de mérito recebidas, documentos referentes a prêmios diversos, apresentações de emendas, pareceres e contribuições feitas a Luís Fernandes
Inauguração da Escola Boa Esperança

Em Redes

Acompanhe todas as novidades do projeto em redes através da nossa página no Facebook. Basta curtir abaixo e receber todas nossas publicações.

Últimas fotos Cadastradas

  • Coleção: Fundo Batistina Maria de Sousa Corgozinho

    Gênero: Textual

  • Coleção: Fundo Batistina Maria de Sousa Corgozinho

    Gênero: Textual

  • Coleção: Fundo Batistina Maria de Sousa Corgozinho

    Gênero: Textual

Fotos Mais Acessadas