|   | 

Fundo: José Valério

SOBRE O  ACERVO

O acervo do José Valério é composto de textos manuscritos dele contando vários fatos da história de Divinópolis de 1890 até os dias de hoje. Além desses manuscritos fotos feitas por ele e legendadas por ele também, fotos do ambiente urbano e rural e de pessoas da família e personalidades. Também tem recortes de jornais e cópias xerox de documentos históricos.

A importância na documentação está no ineditismo dela e no trabalho meticuloso feito por ele durante décadas. É uma grande coletânea da memória divinopolitana.

 

BIOGRAFIA ESCRITA POR JOSÉ VALÉRIO

 

No dia 15 de fevereiro de 1934, na residência de seus avós, na histórica rua Bela Vista 185, hoje rua  Vicente Ferreira Valério, nasceu José, filho de Aurora Ferreira Valério e Cândido Januário Valério.

Ela nascida em 30 de agosto de 1894, em Piumhi, ele nascido em Pitangui em 1891.

Seus avós maternos eram o mestre de obras, português Manoel José Ferreira e Faustina Augusto Ferreira, natural de São João Del-Rei.

Os avós paternos eram o italiano Januário Nicolau Valério, que chegou a Pitangui com 17 anos em 1853 e Maria Januário de Sousa Maciel, descendente de tradicional e importante família de influentes políticos de Pitangui, Patos de Minas, Bom Despacho, Dores do Indaiá etc.

Foi batizado em nossa saudosa Matriz e seus padrinhos foram, seu primo Manoel Carregal Filho e Anísia Valério filha do Sr. Januário Nicolau Valério Filho (Neném)

Eram seus irmãos: Vicente, Manoel, Maria, Januário, Luís, RaEm 1956 casou-se com Dayse Coimbra Valério, filha do bancário Alberto Coimbra Filho, filho do farmacêutico Alberto Teixeira Coimbra e de D. Waldemira Amorim Coimbra, natural de Santo Antônio dos Campos, filha do Sr. João Clementino Pereira e Belarmina Felizarda Amorim.

De seu casamento nasceram: Marcos (médico), Aloísio (engenheiro civil), Denise casada com Antônio Geraldo de Carvalho e Leda.

Tem quatro netas: Natália, Luisa, Raquel e Catarina.

De 1942 a 1945 fez seu curso primário no Grupo Padre Matias Lobato, tendo como professora a querida D. Veneza Guimarães.

De 1947 a 1949 cursou a famosa Escola Profissional Ferroviária.

Em 1950 foi admitido pela RMV nas oficinas locais, onde exerceu as funções de desenhista projetista, até 1974, quando abandonou a Ferrovia e ingressou na EMBRA, em Belo Horizonte, onde permaneceu até 1986.imundo e Antônio .

           

Em 1978 aposentou-se, porém, continuou a trabalhar na EMBRA até 1986 ocasião que retornou a Divinópolis, onde ingressou na empresa KTS (Korf Tecnologia Siderúrgica em 1986 e saiu em 1991.

Fez curso ginasial e o primeiro ano do científico no Ginásio São Geraldo, o 2º e o 3º no Ginásio Estadual.

Integrou a 2ª turma dos formandos da Escola de Direito do Oeste de Minas (FADOM).

É o confrade Vicentino mais antigo da cidade, tendo ingressado na Conferência do Senhor Bom Jesus da Sociedade de São Vicente de Paulo em 1942, com apenas 8 anos de idade.

Foi fundador da Conferência de São Dias em 1970 da qual faz parte.

Foi projetista da Igreja de N.S. Aparecida, no bairro Bom Pastor, da Igreja de N. Sra. Aparecida de São Gonçalo do Pará, da Igreja de Santa Rita em Santo antônio dos Campos, da Igreja Santa Edwirges no bairro das Mangabeiras e Capela da Vila Vicentina.

Nunca foi militante político. É católico praticante.

Em Redes

Acompanhe todas as novidades do projeto em redes através da nossa página no Facebook. Basta curtir abaixo e receber todas nossas publicações.

Últimas fotos Cadastradas

  • Coleção: Fundo Batistina Maria de Sousa Corgozinho

    Gênero: Textual

  • Coleção: Fundo Batistina Maria de Sousa Corgozinho

    Gênero: Textual

  • Coleção: Fundo Batistina Maria de Sousa Corgozinho

    Gênero: Textual

Fotos Mais Acessadas